Vejas as dúvidas mais frequentes sobre Zumbido

É importante saber que uma pessoa pode ter zumbido por uma infinidade de causas. Além disso, cada pessoa é diferente do outra, com suas próprias particularidades, doenças associadas, estilo de vida, alimentação e genética.  Portanto, descobrir as “causas” de cada paciente com zumbido torna-se fundamental. A escolha do tratamento depende exclusivamente destes diagnósticos encontrados em cada paciente.

Zumbido

Assim, um diagnóstico de um médico e o exame físico detalhados são importantes, é onde serão investigados os diversos aspectos de cada pessoa, com o objetivo de esclarecer: as características do zumbido (tempo de aparecimento, tipo, localização); os fatores predisponentes; sintomas associados (perda auditiva, tontura, sensação de ouvido cheio, oscilação da audição, sensibilidade aumentada a sons, ansiedade, depressão); antecedentes do paciente (p.ex. profissão, exposição a ruído, medicações, doenças concomitantes, cirurgias, bruxismo, problemas na coluna cervical, dores de cabeça, entre vários outros itens); hábitos e estilo de vida (abuso de cafeína, consumo de doces, dieta inadequada) e antecedentes familiares (p.ex. diabetes, surdez, labirintite, etc.).

A investigação prossegue com a solicitação dos exames complementares: avaliação do sistema auditivo, exames laboratorias entre outros.

 

Zumbido no ouvido

Como o Zumbido é percebido?

Zumbido, acúfeno ou tinido (tinnitus, termo em inglês) é um som percebido nos ouvidos ou na cabeça sem que haja uma fonte sonora ao redor. É um sintoma (e não uma doença!) que geralmente tem origem em algum ponto da via auditiva, podendo estar frequentemente associado a algumas condições de saúde.

De acordo com pesquisa da American Public Health Agency, é o terceiro sintoma que mais causa incômodo perdendo apenas para dor e tontura intensas e intratáveis. Não tão raro, acomete 17 a 24% da população em alguns países. Possivelmente, pelo menos 28 milhões de brasileiros já vivenciaram este sintoma em alguma circunstância.

Muitos indivíduos apresentam o zumbido associado a outros sintomas como perda auditiva (90%),  tontura, vertigem e intolerância a sons (20 a 40%),tendo sua qualidade de vida prejudicada substancialmente.

Embora este quadro possa parecer dramático, raramente está relacionado a causas graves e pode ter solução na maioria das vezes, merecendo assim, uma investigação detalhada e personalizada para que seja escolhido o tratamento adequado para cada caso.

Quais os tipos de zumbido?

O zumbido pode se parecer a diversos sons como apito, chiado, cigarra, grilo, abelha, cachoeira, motor, sirene, panela de pressão, etc. Mais raramente, o zumbido é rítmico, parecendo-se com batidas do coração, cliques e “asas de borboleta”.

Quais as causas do zumbido?

Das diversas causas do Zumbido (tinnitus), a mais comum é a exposicão a ambiente ruidosos.

Na maioria dos casos, o zumbido está relacionado a um transtorno em alguma parte da via auditiva, desde a orelha externa até o córtex auditivo. Assim, o zumbido não é uma doença, mas sim um sintoma que pode ter diversas causas, sejam elas provocadas por doenças localizadas no sistema auditivo ou por outras doenças originadas em outros órgãos que acabam por influenciar o
ouvido secundariamente.

Trabalhar em ambientes ruidosos, durante muitos anos, sem protencão auditiva aumenta o risco de contrair tinnituse até mesmo perda auditiva.

Atividades voltadas para o lazer pode causar tinnitus e essas atividades incluem o uso abusivo de MP3 e instrumentos musicais.

Estrelas de rock e músicos mais antigos sofrem normalmente de tinnitus e isso ocorre pelo fato deles terem paasado anos de suas vidas em frente a gigantescos alto-falantes, sem protetor de ouvido.

Concerto, onde há alto nível de barulho, é sempre um local perigoso, o que é aconselhável usar protetor auricular (tipo plugs) quando se estiver nesses ambientes ou em atividades em que haja muito ruído. Pessoas que usam arma de fogo correm também alto risco de contrair tinnitus.

É comum as pessoas ouvirem zumbido, ou toque de sino quando se encontra exposta a excesso de ruídos e quando isso acontece recomenda-se a procurar ambientes mais calmos ou usar protetor de ouvido.

Causas do zumbido no ouvido:


  • - Alterações psicológicas.

  • - Distúrbios psiquiátricos;

  • - Alterações odontológicas;

  • - Alterações cardiovasculares;

  • - Originadas no sistema auditivo;

  • - Tipos de doenças neurológicas;

  • - Alterações hormonais (p.ex.: tireóide);

  • - Alterações musculares da região de cabeça e pescoço;

  • - Alterações no metabolismo (p.ex.: do açúcar, de gorduras e deficiência de vitaminas

Existe tratamento para o zumbido?

Muitos especialistas ao redor do mundo estão empenhados nas pesquisas científicas sobre as causas e as formas de tratamento do zumbido. Atualmente, as perspectivas sobre o tratamento deste sintoma é mais favorável, admitindo várias formas de tratamento de acordo com cada caso.

Infelizmente, não existe uma “fórmula mágica” que seja “universal” e “incontestável”, que se aplique satisfatoriamente a todos os casos de zumbido. Conforme dito anteriormente, diversas condições de saúde podem cursar com zumbido, o que faz dele um sintoma comum a várias doenças. Desta maneira, os tratamentos propostos devem ser planejados baseados na(s) sua(s) causa(s).

Tratar o zumbido com o uso de medicamentos é apenas uma das alternativas de tratamento. Alguns melhoram com medicamentos e outros, com tratamentos não-medicamentosos como: dieta; mascaramento; TRT (tinnitus retraining therapy ou terapia de retreinamento do zumbido, ou ainda, terapia da habituação); adaptação de aparelhos para audição ou para zumbido; estimulação magnética transcraniana; fisioterapia (com busca e tratamento de pontos dolorosos específicos relacionados ao zumbido); psicoterapia e entre outros não tão convencionais.

O tratamento do zumbido é personalizado e está diretamente relacionado à identificação de cada um dos fatores causais!

Dar para tratar a causa Zumbido?

A identificação dos fatores relacionados ao zumbido nos permite escolher uma série de opções terapêuticas, possibilitando o seu controle (e em alguns casos, até a cura) do zumbido com a simples reversão destes fatores (p.ex: dietas para alterações do metabolismo do açúcar ou de gorduras; restrição de cafeína nos casos de abuso de cafeína; readequação dos hormônios tireoideanos para alterações da tireóide; reposição de vitaminas e zinco para os que têm deficiência destes elementos; avaliação e tratamento com o fisioterapeuta se indicado; tratamento da ariticulação têmporomandibular com o dentista nos que têm comprometimento nesta região; psicoterapia quando causas emocionais estão envolvidas; cirurgias para correção de alguns tipos de doença no ouvido, como perfuração do tímpano, otoespongiose, etc). Assim, o primeiro passo deve sempre ser na direção da busca pela resolução das doenças de base que influenciam o aparecimento do zumbido.

Zumbido pode estar relacionado a:

  • Idade
  • Stress
  • Tumores
  • Trauma craniano
  • Infecção no ouvido
  • Doença de Menièrè
  • Perfuração no ouvido
  • Excesso de cera no ouvido (cerúme)
  • Dose excessiva de medicamento, como por exemplo aspirina
  • Fístula perilinfática ( uma ruptura traumática situada no ouvido interno )
  • Disfunção da articulação temporomandibular (alteração da articulação que liga o maxilar à mandíbula).

 

Para saber mais sobre Zumbidos no ouvido

Ligue para (11) 2365-8549 ou (11) 2694-1351 ou clique aqui e entre em contato por email.

Tags: aparelhos auditivosperda auditivaadaptação de Aparelho auditivo, fonoaudióloga, audição, ouvir melhor, tipos de aparelhos auditivos, lista de aparelhos auditivos, classificação de aparelho auditivo